Bahiatursa quer transformar o São João da Bahia em festa nacional Vai Bahia

quinta-feira, 2 de julho de 2020

Comemorações ocorrem na Lapinha, com hasteamento da bandeira do estado e presença de autoridades. Programação online foi montada para as pessoas celebrarem de casa.

Foto-Adriana Oliveira-TV Bahia
Com a suspensão dos festejos à Independência do Brasil na Bahia, que completa 197 anos nesta quinta-feira (2), poucas celebrações foram mantidas neste 2 de julho em Salvador. As que foram mantidas, ocorrem sem a presença do povo, por causa da pandemia da Covid-19. 
Na cerimônia desta quinta-feira, as imagens do Caboclo e da Cabocla foram expostas em frente ao Pavilhão 2 de Julho, no bairro da Lapinha, em Salvador. 

O busto do general Labatut, que também fica na Lapinha, recebeu floresAlém disso, o hasteamento das bandeiras do Brasil, da Bahia, de Salvador e do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB) foi mantido, mas o acesso foi liberado apenas às autoridades civis e militares, além da imprensa.Além disso, o hasteamento das bandeiras do Brasil, da Bahia, de Salvador e do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB) foi mantido, mas o acesso foi liberado apenas às autoridades civis e militares, além da imprensa. 
A solenidade contou com as presenças do governador Rui Costa, do prefeito de Salvador, ACM Neto, do presidentes da Assembleia Legislativa da Bahia, Nelson Leal, do presidente da Câmara de Vereadores, Geraldo Júnior, além do presidente do IGHB Eduardo Morais de Castro, respectivamente, entre outras autoridades.
O local onde ocorreram as celebrações foi interditado com gradil, com intuito de evitar aglomerações. Os moradores da Lapinha acompanharam a solenidade das portas e janelas das casa.Diante da impossibilidade da participação do povo, a Fundação Gregório de Matos (FGM) preparou uma programação online com filmes, apresentações de filarmônicas, mostra fotográfica, videoaulas e rodas de conversas para que a data seja celebrada pelos baianos, de casa.
A agenda virtual que celebra a data magna do estado já está disponível nesta quinta-feira e segue até a próxima terça-feira (7). G1 Bahia

terça-feira, 5 de maio de 2020

Se os romeiros não vão aos grandes eventos religiosos de Bom Jesus da Lapa por causa da pandemia do novo coronavírus, os eventos irão até eles. Foi com esta ideia que o Santuário de Bom Jesus da Lapa, em parceria com a Prefeitura Municipal, elaborou o projeto Romaria Virtual, cuja primeira edição será realizada nos dias 8 e 9 de maio com a VI Romaria do Terço dos Homens.

A proposta é que as principais celebrações religiosas da cidade, que atraem visitantes de todo o Brasil, sejam transmitidas nos canais do Santuário nas redes sociais – YouTube (www.youtube.com/user/santuariolapa), Facebook (facebook.com/santuariolapa) e Instagram (@santuariolapa).

“A partir de maio começa o grande fluxo de romaria para Bom Jesus da Lapa e, quando percebemos que a pandemia iria prejudicar principalmente a mobilidade, sentimos a necessidade de preparar um projeto para atender os romeiros que não podem vir aqui”, explica o padre William Betonio, diretor da Web TV Bom Jesus.

Segundo ele, a ideia é mostrar que, mesmo com a ausência física, é possível participar virtualmente, se adaptando à atual realidade. Romeiros poderão também interagir por meio de vídeos e nas redes sociais, estabelecendo um contato mais direto. A instituição conta com quase 500 mil pessoas seguindo os conteúdos produzidos.

A Romaria Virtual transmitirá toda a programação de cada romaria da cidade – missas, procissões, carreatas, etc -, porém, sem a participação do grande público, em virtude dos cuidados com a pandemia, segundo informações da Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Empreendedorismo.

As transmissões da Romaria do Terço dos Homens começam na sexta-feira (8), às 17 horas, com a missa de abertura, seguida pelo Terço dos Homens, às 19 horas. Às 20 horas haverá uma Live com o padre Zezinho. No sábado (9), será transmitida a missa das 6h45 pela TV Aparecida. A programação prossegue às 15 horas, com o Terço da Misericórdia; 16 horas, com palestra para os homens; 17 horas, com missa; e 19 horas, com Live Show de Fábio Lopes e Cantores do Santuário.

Calendário - Entre as principais romarias que o município recebe, além da do Terço dos Homens, estão a da Terra e das Águas, de 3 a 5 de julho; a festa do Bom Jesus da Lapa, a principal da região, de 28 de julho a 6 de agosto; a de Nossa Senhora da Soledade, de 8 a 15 de setembro; e a festa de Nossa Senhora Aparecida, de 9 a 12 de outubro.

O projeto Romaria Virtual deverá fazer a transmissão de todas as romarias, independente do fim da pandemia. “Será um suporte da romaria presencial, já que temos uma Web TV para conectar o Santuário com os romeiros”, diz o padre Betonio.

Para o secretário do Turismo da Bahia, Fausto Franco, o projeto é uma forma de manter viva a tradição das romarias de Bom Jesus da Lapa, ainda que sem as grandes aglomerações que elas atraem. “Os romeiros poderão ver dentro de suas casas toda a movimentação e principais celebrações de cada festa, até que a pandemia passe e eles possam realizar de novo suas viagens para esta cidade de forte tradição no turismo religioso”, afirma.

Entre os principais pontos turísticos da região estão o Santuário do Bom Jesus com suas grutas e o morro onde está o Cruzeiro do Bom Jesus. O Rio São Francisco, que margeia o município, é um atrativo à parte. setur.ba.gov.br

quarta-feira, 29 de abril de 2020

domingo, 29 de março de 2020

Nos últimos meses a Bahia tem acompanhado o ressurgimento do badalar dos sinos das igrejas da Bahia. Seis igrejas já passaram por obras de reativação dos seculares sinos que tocam atualmente nos horários litúrgicos. O projeto idealizado pelo Secretário de Turismo da Bahia, Fausto Franco, representa um resgate de uma tradição que foi se perdendo ao longo do tempo.

Os sinos no passado, para além de suas funções religiosas, também funcionavam como marcadores temporais, “sinalizadores” dos acontecimentos diários. Em épocas de epidemias, por exemplo, os sinos sinalizavam para o número de mortes em uma cidade e também convidavam os habitantes para as obrigações religiosas, lembra o historiador Rafael Dantas que acompanha o projeto de reativação dos sinos, também destacando outros momentos que marcaram a história da Cidade como a Gripe Espanhola de 1918. Na contemporaneidade, os sinos foram perdendo relevância no cenário social ficando presente de forma mais atuante no meio religioso.

Mas devido ao isolamento recomendado por conta da pandemia do Coronavírus, o toque dos sinos novamente voltaram a se destacar. Em algumas cidades italianas e no Brasil, as badaladas voltaram a ser um sinal de esperança e fé. A cidade mineira de São João del-Rei voltou a tocar três vezes os sinos em um pedido de oração em casa durante o isolamento. Na cidade do Salvador, capital baiana, seis igrejas contempladas pelo projeto, mais os outros templos que já tocavam os sinos, exemplo da Catedral Basílica, continuam sinalizando para a importância da esperança e do isolamento em casa.

O Padre Valson Sandes, capelão da Igreja do Passo e da paróquia da Igreja da Saúde, pontua “que o sino foi sempre um sinal de Deus, um anúncio, um chamado nesse tempo de Conaravírus para as pessoas ficarem em casa em oração.”

O resgate do toque dos sinos ganha ainda mais importância no aniversário da Cidade do Salvador, 29 de março, data que celebra a chegada do primeiro governador Geral Tomé de Sousa. Pela primeira vez em mais de 100 anos, Salvador contempla o espetáculo da volta do badalar de diversos sinos, que estavam parados há décadas, em suas velhas igrejas.
setur.ba.gov.br

sábado, 28 de março de 2020

Secretários de turismo de todo o País manifestam-se contra pronunciamento em carta à Presidência da República

Em carta aberta à Presidência da República, o Fórum dos Secretários e Dirigentes Estaduais do Turismo - Fornatur manifestou-se contrário ao pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro em rede nacional, na noite do último dia 24, quando pregou a volta à normalidade no país, apesar da pandemia do novo Coronavírus.

Para o Fórum, o presidente minimiza os efeitos do Covid-19 e contraria as orientações da Organização Mundial da Saúde – OMS e das principais lideranças mundiais de saúde, ”inclusive do próprio Ministério da Saúde”.

Em que pese ser o turismo um dos setores mais prejudicados com a crise gerada pela pandemia, acarretando em desemprego, fechamento de hotéis e restaurantes e prejuízos no segmento aéreo, o Fornatur considera que a grande população deve permanecer protegida.

Apesar dos incontáveis prejuízos, as pessoas que fazem o turismo entendem que, neste momento, o mais importante é preservar a saúde de todos”, diz o texto.

Integrante do Fórum, o secretário do Turismo da Bahia, Fausto Franco, afirma que, apesar dos impactos da crise do Coronavírus no setor, os cuidados para evitar seu avanço devem ser mantidos. ”O momento é de união e de seguir as recomendações da Organização Mundial da Saúde e demais entidades ligadas à saúde, assim como as dos governadores que estão empenhados em conter a pandemia”.

Criado em 2000, o Fornatur é um colegiado de secretários e presidentes de órgãos estaduais do Turismo que se reúnem para deliberar sobre temas relevantes do turismo nacional.

domingo, 23 de fevereiro de 2020

Tradicional saída do Ilê Aiyê foi acompanhada por moradores, visitantes e turistas no bairro da Liberdade, na noite deste sábado (22).

Gleicy Ellen Teixeira, Deusa do Ébano 2020 — Foto; Adriano Cardoso-Ag Haack

Reforçando uma tradição de quase meio século, o bloco afro Ilê Aiyê fez a tradicional saída pelas ruas do Curuzu, onde fica a sede da atração, em Salvador, na noite deste sábado (22). O desfile, que ocorre há 46 anos, foi acompanhado por uma multidão, incluindo moradores, turistas e famosos, como Cris Vianna.


Neste ano, o Ilê tem “Botswana: Uma história de êxito no mundo” como tema durante o carnaval. O objetivo é levar para a avenida a história de um país que faz parte das pesquisas do bloco.Antes mesmo de seguir em direção ao Circuito Osmar (Campo Grande), o mais tradicional de todos os circuitos do carnaval da capital baiana, e onde a caminhada é encerrada, foi dado início ao ritual do candomblé, por volta das 22h10.


O terreiro Ilê Axé Jitolu ficou cheio de pessoas que esperavam pela cerimônia religiosa em reverência aos orixás para abrir caminhos do cortejo. O ritual foi liderado pela lorixá Hidelice BentaIa. 

Atenta, a multidão acompanhou a soltura das pombas brancas da paz, o tradicional banho de pipoca e o pó de pemba. A cada momento do ritual, as pessoas mostravam toda a admiração pela força do bloco.

Em seguida, já por volta das 22h40, sob o comando da Deusa do Ébano, Gleicy Ellen Teixeira, 22 anos, e o olhar do Vôvô do Ilê, o "Mais Belo dos Belos" seguiu com força e deu início a caminhada, ao som da percussão da Band’Aiyê.
Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

No período do Carnaval, seis navios de cruzeiro, com capacidade para trazer até 15.631 turistas, devem chegar ao porto de Salvador. O dia de maior movimento será a terça-feira (25), quando quatro grandes embarcações estarão ancoradas no local, inclusive a maior delas, o MSC Seaview, que pode transportar até 5.210 passageiros.

Receptivo da Secretaria do Turismo da Bahia (Setur) estará no porto para dar as boas-vindas aos turistas e desejar-lhes um bom Carnaval.  Profissionais do projeto Guias e Monitores também estarão presentes para prestar informações turísticas, dar dicas e tirar dúvidas dos passageiros sobre lugares a visitar na cidade.

"Receber bem o turista e passar a ele informações precisas sobre a melhor forma de conhecer o Carnaval baiano é fundamental, por isso estaremos no porto de Salvador com a nossa equipe nestes dias em que a Bahia estará em festa", afirma o secretário estadual do Turismo, Fausto Franco.

O primeiro navio a desembarcar no período carnavalesco é o Europa 2, com capacidade para 516 pessoas. A previsão de chegada é às 8 horas de sábado (22). A partida está marcada para as 23 horas do mesmo dia.

O próximo é o Seaview, a partir das 18 horas de segunda-feira (24), proveniente de Santos (SP). Recepcionados pelos músicos da banda de sopros João de Barro, os passageiros permanecem  em Salvador até a 1 hora da Quarta-Feira de Cinzas (26), horário previsto para o transatlântico partir, rumo a Ilhéus.

Maior Movimento - Já na terça-feira (25), três navios são esperados no porto da cidade. O primeiro a atracar é o Island Princess, com capacidade para 1.974 passageiros. Chega de Búzios (RJ),  às 7 horas, e parte no mesmo dia, às 17 horas. Às 8 horas, proveniente de Ilhéus, é a vez do MSC Fantasia, que pode transportar até 3.952 turistas. Fica em Salvador até o final da tarde, partindo às 18 horas para Búzios.

Por fim, o Costa Fascinosa, que transporta até 2.547 passageiros, chega às 10 horas de Cabo Frio (RJ) e parte às 20 horas para Ilha Grande (RJ). Neste dia, o receptivo da Setur será o minitrio Rixô Elétrico , do músico Fred Menendez, além de duas baianas tipicamente vestidas, distribuindo fitinhas do Nosso Senhor do Bonfim.  A equipe estará recebendo os turistas entre 9 horas e 14 horas.

Na Quarta-feira de Cinzas também tem navio aportando.  É o Volendam, que chega de Ilhéus às 8 horas e segue para Recife às 17 horas. A capacidade é de 1.432 passageiros. Foto_Daniel_Meira / setur.ba.gov.br 

domingo, 9 de fevereiro de 2020

Modelo e dançarina Gleiciele Teixeira Oliveira, de 22 anos, foi vencedora do título. Ela participou da seleção pela segunda vez. 

O bloco afro Ilê Aiyê elegeu a 'Deusa do Ébano' 2020 em festa na Senzala do Barro Preto, que fica no bairro da Liberdade, em Salvador, na noite de sábado (9). O evento teve participação das cantoras Daniela Mercury e Márcia Short.

A vencedora do título foi a modelo e dançarina Gleiciele Teixeira Oliveira, de 22 anos, que participou da seleção pela segunda vez. O concurso contou com 15 finalistas, no total.

"Mais que um título, significa autoafirmação, ancestralidade identidade. É a luta para nós ganharmos mais espaço e mostrar a nossa beleza, ainda pouco valorizada. Esse concurso nos incentiva a nos enxergar como belas, levando essa autoestima nossas crianças e outras mulheres", comemorou Gleiciele. 


A Deusa do Ébano desfila com destaque durante todo o Carnaval, representa o Ilê Aiyê em eventos sociais e integra sua comitiva em viagens e turnês, dentro e fora do Brasil. g1.globo.com/ba/bahia


Foto - Mario Sergio Fotografia.



sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Erguido no século XVI, o Museu Wanderley Pinho, no município de Candeias, ajuda a contar parte da história do Recôncavo Baiano. Para garantir a preservação do patrimônio histórico para as futuras gerações, o Governo do Estado autorizou, nesta quarta-feira (29), uma ordem de serviço no valor de R$ 24 milhões para a realização de obras de requalificação na edificação. O evento teve as presenças do secretário do Turismo, Fausto Franco, do diretor do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac), João Carlos Oliveira, e do prefeito do município, Pitágoras Alves. 

"Estamos resgatando um patrimônio que fez parte da história do nosso país, um projeto em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento [BID], que entra com 60% dos recursos, e o Estado com 40%. Tudo com o viés de fomento da Baía de Todos-os-Santos. Esse projeto, que faz parte do Prodetur Bahia, tem um prazo de 12 meses. Nós iremos resgatar a originalidade desse museu e a visitação será aberta ao público. Temos planos de futuramente construir restaurantes, hotéis e lojas de artesanato para valorizar nosso patrimônio e turismo", explicou Fausto Franco. 

O museu ocupa um casarão de quatro andares e 55 cômodos no antigo Engenho Freguesia e inclui ainda uma capela. Tombado como patrimônio nacional pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o equipamento possui grande importância arquitetônica e cultural, sendo administrado pelo Ipac. O equipamento reúne um acervo de mais de 200 peças que contam uma história da Bahia e do Brasil. 

De acordo com o diretor do Ipac, "o projeto prevê a recuperação do píer e atracadouro, que será uma base náutica com receptivo. O museu conta uma história de 400 anos e teremos um espaço para receber 500 pessoas. Isso vai permitir a realização de eventos e outras atividades". 

O prefeito de Candeias comemorou a assinatura. "Este momento é de grande alegria para a cidade de Candeias, que hoje faz parte do turismo náutico e religioso. A reforma desse museu, um espaço que faz parte da história do Brasil, é de grande importância, especialmente pela cultura, mas também por se tratar de um investimento grande que irá gerar muitos empregos e renda para a nossa população".

Também presente ao evento, a representante do BID, Denise Levy, lembrou que todo o processo é participativo, com consulta pública. “O envolvimento da comunidade contribui para a continuidade e para o crescimento desse equipamento”. setur.ba.gov.br