Bahiatursa quer transformar o São João da Bahia em festa nacional Com mulher no comando, Salvador tem domingo especial de desfile cívico ~ Vai Bahia

domingo, 7 de setembro de 2014

Moradores prestigiaram evento em dia de tempo instável, com sol e chuva.
Tropas desfilaram para lembrar 192° aniversário da Independência do Brasil.

Maiana BeloDo G1 BA

Foto:Maiana Belo
O desfile em homenagem do 192° aniversário do 7 de Setembro, em Salvador, teve início por volta das 9h deste domingo (7), no centro da capital baiana. O dia começou nublado com ventos fortes e pouca chuva. Cerca de uma hora após o início do evento, a chuva aumentou, mas isso não desanimou o público, que permaneceu no local. Depois o sol surgiu, porém o clima continuou instável.

O desfile foi aberto pela Marinha, seguindo com tropas do Exército, Polícia Militar, Bombeiros, Guarda Municipal, Polícia Rodoviária Federal, além das crianças e adolescentes das escolas da Polícia Militar (CPM), do Exército (CMS) e públicas da Bahia.
Pela primeira vez no evento, uma mulher comandou o desfile. A tarefa ficou por conta da capitã-de-mar-e-guerra da Marinha, Carla Calegário, que é vice presidente do Hospital da Marinha. Pela primeira vez também, um cão de salvamento aquático participou do desfile. O "cão aquático" faz parte da Marinha e realiza salvamentos na água.
ACM Neto, Jaques Wagner e Luiz Henrique Caroli hasteam as bandeiras de Salvador, da Bahia e do Brasil. (Foto: Maiana Belo / G1)ACM Neto, Jaques Wagner e Luiz Henrique Caroli
hasteam as bandeiras de Salvador, da Bahia e do
Brasil. (Foto: Maiana Belo / G1)
Antes do início do evento, o prefeito de Salvador, ACM Neto, o governador da Bahia, Jaques Wagner, e o vice almirante da Marinha, Luiz Henrique Caroli, hastearam as bandeiras.
Luiz Henrique Caroli também coordenou o desfile e falou sobre a importância de renovar a tradição popular em torno dos festejos cívicos. "Vi muitas crianças aqui e isso me deixa feliz já que eles são o futuro do Brasil", comemora.
Algumas pessoas aproveitaram o desfile para protestar, mas também para fazer homenagens, como foi o caso da família do tenente Joserrise Mesquita, que morreu este ano após passar mal em prova da PM, na capital baiana.
Cavalaria no desfile do 7 de setembro, em Salvador (Foto; Maiana Belo-G1)
"Ele nunca faltou a um desfile, vinha de fardinha desde pequeno. Ser policial era a vida dele. Venho para cá e sinto como se eu proseguisse com a história dele. Não pretendo deixar de vir", diz a mãe de Josserrise, Jociléia Mesquita.
O público baiano saiu de diversos bairros da capital para conferir o desfile das tropas. Nadja Xavier é uma delas. A moradora da Liberdade foi assistir ao 7 de Setembro com o marido Paulo César e as filhas Lorena e Liana, com 11 e cinco anos, respectivamente.
"Precisamos mostrar para elas a importância da data. Este é o terceiro ano que estamos aqui. Além disso, achei que este ano está mais organizado", conta.
Teve gente que nem precisou sair de casa para ver a passagem das tropas. A família do administrador Maurício Almeida chegou à casa da sogra dele um dia antes do desfile para não perder nenhum momemento no dia seguinte.
"Aqui reunimos várias gerações. Minha sogra nasceu nesta casa. Ela tem 87 anos. Eu já sou casado com minha esposa há 40 e sempre vim assistir aqui. Hoje estamos com nossos filhos, netos. Temos três gerações aqui e todos achamos a data importante", diz Maurício.
O desfile seguiu até a Praça Castro Alves e contou com a participação popular. Segundo a polícia, a estimativa é de que 6.600 pessoas tenham conferido o evento.

0 comentários: