Bahiatursa quer transformar o São João da Bahia em festa nacional Escolas no município de Nazaré/BA se reuniram e organizam um Festival de Musica & Cultura para comemorar o primeiro centenário do imortal Dorival Caymmi. ~ Vai Bahia

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

“Quem não gosta de samba, bom sujeito não é: é ruim da cabeça ou doente do pé.”

Veja mais fotos
Os organizadores do evento acharam importante comemorar o primeiro centenário de Dorival Caymmi através de apresentações culturais e informações que promovam a importância do musico baiano e da cultura popular da Bahia enfatizando o samba de roda.

O evento foi realizado no palco do Cinema Rio Branco na manha 09 dezembro de 14 e contou com as presenças de autoridades municipais, professores, alunos e vários artistas locais, além das danças e do samba, foi realizado ainda um concurso de musica e veja na leitura da foto a satisfação de quem levou a melhor.
Veja mais fotos
Dorival Caymmi disse: é doce morrer no mar.“Bobagem falar de morte, prefiro a Rosa morena, que estar fazendo Rosa larga essa besteira de fingir que não sente, ou que tu é inocente, vem Rosa morena, vem logo para cá, estou sozinho estou a te esperar.”



Dorival Caymmi, compositor baiano, nascido em 30 de abril de 1914, é responsável em grande parte pela imagem que a Bahia tem hoje em dia, seu estilo inimitável de compor e cantar influenciou várias gerações de músicos brasileiros. Em Salvador teve vários trabalhos antes de tentar a sorte como cantor de rádio, e como compositor ganhou um concurso de músicas de carnaval em 1936. Dois anos mais tarde foi para o Rio de Janeiro com o objetivo de realizar o curso preparatório de Direito e talvez arranjar um emprego como jornalista, profissão que já havia exercido em Salvador. Mas, incentivado pelos amigos, muda de idéia e resolve enveredar para a música.

Primeiro, por obra do acaso, tem sua música O que é que a baiana tem? incluída no filme Banana da Terra, estrelado por Carmen Miranda. Em seguida sua música O mar foi colocada em um espetáculo promovido pela então primeira-dama Darcy Vargas. Daí em diante seu prestígio foi se ampliando. 

Passou a atuar na Rádio Nacional, onde conheceu a cantora Stella Maris, com quem se casou em 1940 e permanece casado até hoje. Seus filhos Dori, Danilo e Nana também são músicos. As canções que celebrizaram Caymmi versam na maioria das vezes sobre temas praieiros ou sobre a Bahia e as belezas da terra, o que colaborou para fixar, de certa forma, uma imagem do Brasil para o exterior e para os próprios brasileiros. 

Algumas das mais marcantes são A lenda do Abaeté, Promessa de pescador, É doce morrer no mar, Marina, Não tem solução, João Valentão, Maracangalha, Saudades de Itapoã, Doralice, Samba da minha terra, Lá vem a baiana, Suíte dos pescadores, Sábado em Copacabana, Nem eu, Nunca mais, Saudade da Bahia, Dora, Oração da Mãe Menininha , Rosa morena, Eu não tenho onde morar, Das rosas. 

Em 60 anos de carreira, Dorival Caymmi gravou cerca de 20 discos, mas o número de versões de suas músicas feitas por outros intérpretes é praticamente incalculável. Sua obra, considerada pequena em quantidade, compensa essa falsa impressão com inigualável número de obras-primas. Fonte da biografia

0 comentários: