Bahiatursa quer transformar o São João da Bahia em festa nacional 11º Festival Internacional de Artistas de Rua da Bahia ~ Vai Bahia

segunda-feira, 16 de março de 2015



A cada ano mais, o ritmo da vida está acelerando. A comunicação entre as pessoas mudou. De cartas escritas a mão para e-mail, depois para posts nas redes sociais; o show que aconteceu ontem já está hoje publicado na internet...

Mas alguma coisa acontece nos espetáculos ao vivo, quando não tem câmeras ou telas no meio, especialmente quando os artistas se apresentam num lugar tão interativo como a praça pública.
As performances do Festival de Rua são sem barreiras entre os artistas e o público. Todos ficam no mesmo chão, sob a mesma luz, ouvindo o mesmo som que é ou acústico ou com amplificação muito pequena. Este tipo de espetáculo é muito frágil, e isso faz parte da sua beleza. O público participa do show, interage com o artista, e ninguém sabe exatamente o que é que vai acontecer.

Quem vive de fazer show na rua sabe como é, e gosta de improvisar.
E quando artistas que costumam fazer show de palco se apresentam na rua, eles encontram um mundo diferente, um desafio, e potencialmente muita satisfação no contato tão direto com a plateia.

Já tivemos a sorte de poder contar com participações de artistas de fama nacional, como Clarisse Abujamra (dois anos), Têtê Espíndola, Mariene de Castro (três anos) e Jackson Costa (dois anos), e todos eles adoravam esta interação imediata com o público do festival.

Pois o Festival de Rua é mais do que um evento que apresenta espetáculos e shows de vários tipos. O que acontece desde a primeira edição em 2002 são interações artísticas entre os grupos participantes, sobretudo os músicos.

Nas edições dos anos passados sempre tivemos encontros musicais entre grupos provenientes de diversos países do mundo, de variadas culturas e estilos musicais. Tivemos, por exemplo, uma banda de samba tocando junto com um trio de cordas, um balafonista do Mali quem interagiu com um mestre de berimbau, um bluesman norte-americano que tocou junto com uma banda de forró.....
Estes encontros improvisados são impossíveis de serem repetidos e quem fica presente percebe isso.

Venham assistir e participar dos espetáculos do Festival de Rua, de graça, lá onde a vida acontece `ao vivo, na rua! Veja as fotos de edições passada


Bernard M. Snyder - Diretor Artístico

0 comentários: